O cuidado de crianças hospitalizadas com condições crônicas complexas: vivências e aprendizagem

Autores

  • Rosilene Aparecida dos Santos Instituto Nacional de Saúde da Criança, da Mulher e do Adolescente Fernandes Figueira/Fiocruz https://orcid.org/0000-0003-1937-9084
  • Maria Cecília de Souza Minayo FIOCRUZ

DOI:

https://doi.org/10.33361/RPQ.2021.v.9.n.21.351

Resumo

Esse artigo apresenta e discute a relação subjetiva e intersubjetiva dos profissionais de saúde com crianças com condições crônicas complexas de saúde e suas famílias. É parte de uma pesquisa qualitativa, construída a partir do método etnográfico, numa enfermaria de pediatria de um hospital federal do Rio de Janeiro. Buscou-se entender a lógica e lacunas do cuidado hospitalar, principalmente voltada para as questões subjetivas das crianças.  O estudo permitiu vários tipos de observação, que estão organizados em três tópicos: 1) Movimentos, atores e intervenções: observando o cenário, fruto de observação participante; 2) Olhar, compreender, interagir e respeitar: ouvindo quem cuida; 3) Aprender, compreender, interpretar e agir. As habilidades profissionais para o cuidado integral dessas crianças são construídas cotidianamente, baseadas nas necessidades de cada uma, englobando os aspectos físicos, subjetivos, coletivos e história de vida. A subjetividade e intersubjetividade são a alma propulsora da dinâmica da vida na enfermaria. 

Palavras-chave: Hospitalização; Pediatria; Doença crônica; Assistência hospitalar; Sistema de aprendizagem em saúde.

Downloads

Publicado

2021-08-31

Edição

Seção

Artigos de Pesquisa