A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e a organização da matemática no ensino fundamental

Autores

DOI:

https://doi.org/10.33361/RPQ.2019.v.7.n.15.289

Resumo

Resumo: Este artigo apresenta os resultados de um estudo sobre a organização da matemática para o Ensino Fundamental a partir da homologação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Adotamos como metodologia a pesquisa qualitativa desenvolvida na abordagem fenomenológica. Por meio desse texto, apresentamos uma análise hermenêutica do documento da BNCC que divide opiniões: é considerada um avanço na educação escolar brasileira, no sentido de que procura valorizar as necessidades sociais das diferentes regiões do país, integrando componentes curriculares e temas transversais, que são pertinentes na formação dos cidadãos e, também, é visto como um retrocesso, por não estabelecer como base questões envolvendo gênero, educação sexual e diversidade cultural.

Palavras-chave Base Nacional Comum Curricular; Legislação Escolar; Matemática.

 

The national curriculum and the teaching of mathematics in Brazil

Abstract: This paper presents the results of a study on the organization of mathematics for elementary school from the approval of the National Curriculum Common Base (BNCC). We adopted as methodology a qualitative research developed as a phenomenological approach. In this text we present a hermeneutic analysis of the BNCC document that divides opinions: it is considered an advance in Brazilian school education, in the sense that it seeks to value the social needs of different regions of the country, integrating curricular components and cross-cutting themes, which are relevant in the formation of citizens and, also, is seen as a setback, as it does not establish as basis issues involving gender, sexuality education and cultural diversity.

Keywords: National Curriculum; School Legislation; Mathematics.

 

Referências

BICUDO, M. A. V. A pesquisa em educação matemática: a prevalência da abordagem qualitativa. Revista Brasileira de Ensino de Ciência e Tecnologia, Ponta Grossa, v. 5, n. 5. p. 15-26, maio-agosto. 2012.

BICUDO, M. A. V. Sobre história e historicidade em Edmund Husserl. Cadernos da EMARF, Fenomenologia e Direito, Rio de Janeiro, v.9, n.1, p.21-48, abril-setembro. 2016. Disponível em: https://sfjp.ifcs.ufrj.br/revista/downloads/sobre_historia_e_historicidade.pdf. Acesso em: 08 out. 2019.

BRASIL. Casa Cívil. Constituição. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988.

BRASIL. Ministério da Educação e da Cultura. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei número 9394, 20 de dezembro de 1996. Brasília, 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 05 jul. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Diretoria de Currículos e Educação Integral. Brasília: MEC, SEB, DICEI, 2013.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei n.13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação – PNE e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 2014. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2014/lei/l13005.htm. Acesso em: 05 jul. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. 1 versão. Brasília, 2015. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/documentos/BNCC-APRESENTACAO.pdf. Acesso em: 05 jul. 2019.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular: Proposta preliminar. Ministério da Educação. 2016. Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/documentos/bncc-2versao.revista.pdf>. Acessado em 18 de setembro de 2018.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular: Ensino Médio. Brasília: MEC/Secretaria de Educação Básica, 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Educação é a Base. Brasília, MEC/CONSED/UNDIME, 2017. Disponível em: 568 http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_publicacao.pdf. Acesso em: 18 set. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução nº 4, de 13 de julho de 2010. Brasília. 2010. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/rceb004_10.pdf. Acesso em: 18 de set. 2018.

D’AMBROSIO, U. Educação matemática: da teoria à prática. Perspectivas em educação matemática. 17. ed. Campinas: Papirus Editora, 2009. Disponível em: https://www.passeidireto.com/arquivo/6446447/educacao-matematica-da-teoria-a-pratica----ubiratan-dambrosio. Acesso em: 18 de set. de 2018.

FRANCO, L. G.; MUNFORD, D. Reflexões sobre a BNCC: um olhar da área de ciências da natureza. Horizontes, Itatiba, v. 36, p. 158-171, janeiro. 2018. DOI: https://doi.org/10.24933/horizontes.v36i1.582.

GADAMER, H. G. Verdade e método - Traços fundamentais de uma hermenêutica filosófica. Tradução de. Flávio Paulo Meurer. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 1999.

MACEDO, E. Base Nacional Curricular Comum: novas formas de sociabilidade produzindo sentidos para a educação. Revista e-Curriculum, São Paulo, v. 12, n. 3, p.1530 – 1555, out./dez. 2014.

MACEDO, E. Base nacional curricular comum: a falsa oposição entre conhecimento para fazer algo e conhecimento em si. Educação em Revista [online], Belo Horizonte, v.32, n.2, p.45-68, abril-junho. 2016. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0102-4698153052.

MONDINI, F.; MOCROSKY, L. F.; BICUDO, M. A. V. A Hermenêutica em Educação Matemática: Compreensões e Possibilidade. Revemat: Revista Eletrônica de Educação Matemática, Florianópolis, v. 12, n. 1, p. 317-327, 2017. DOI: https://doi.org/10.5007/1981-1322.2017v12n1p1.

MORENO, J.C. História na Base Nacional Comum Curricular: déjà vu e novos dilemas do século XXI. História & Ensino, Londrina, v. 22, n. 1, p. 07-27, jan./jun. 2016. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/histensino/article/viewFile/26158/19188. Acesso em: agosto de 2019.

OECD. PISA Results: Excellence Through Equity: Giving Every Student the Chance to Succeed (Volume II). Paris: OECD.2012. Publishing. http://dx.doi.org/10.1787/9789264201132-en.

ZANATTA, S.C., NEVES, M.C.D. Uma Discussão sobre a Implantação da Bncc: um olhar para o ensino de física. In: CONGRESSO NACIONAL DE PESQUISA E ENSINO DE CIÊNCIAS, 1., 2016, Campina Grande. Anais... Campina Grande: Editora realize, 2016. p. 01-10.

Publicado

2019-12-23

Edição

Seção

Estudos