Alunos de escolas públicas num contexto cultural caipira: composição social e as cores da infância escolarizada em Cotia (1870-1885)

Fernanda Moraes, Diana Gonçalves Vidal

Resumo


Resumo: O objetivo é apresentar e analisar algumas características de alunos cotianos no Oitocentos e as influências do cotidiano local na vida escolar. Entre as fontes estão livros de matrícula, relatórios de Instrução Pública, registros paroquiais e dados demográficos. Inicialmente discorre sobre a Vila de Cotia e a sociedade caipira. A seguir, analisa a composição social das turmas. Por fim detém-se no estudo das relações étnico-raciais, comprovando a hipótese de que nesse contexto existia uma maior proximidade entre senhores e escravos que em lugares mais ricos e que a vida fora da escola se refletia dentro dela.

Palavras-chave: Alunos; Século XIX; Cotia; São Paulo; Escolas Públicas.

 

Students from public schools in the cultural context caipira: social composition and the childhood colors schooling in Cotia (1870-1885)

Abstract: The aim of this study is to analyze some of the characteristics of students from the municipality of Cotia, state of São Paulo, Brazil, in the 19th century, looking into the influence of everyday life on schools. The source materials used include book enrollment, public reports, parish records, and demographic data. This study initially discusses general aspects of life in Cotia and in rural communities of that time. We also analyze the social composition of students’ groups, addressing ethnic and racial relationships, and proving the hypothesis of a closer relationship between slave owners and slaves in such environment, as compared with more affluent regions, and of the effect of life outside school on the teaching environment.

Keywords: Students; XIX Century; Cotia; São Paulo; Public Schools.

 


Texto completo:

TEXTO COMPLETO

Referências


Referências

BARROS, S. Negrinhos que por ahi andão: escolarização da população negra em São Paulo (1870-1920). 2005. 163 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2005.

BASSANEZI, M. S. C. B. et al. São Paulo do passado: dados demográficos. Parte 3 (1872). Campinas: NEPO-UNICAMP, 1998a.

BASSANEZI, M. S. C. B. et al. São Paulo do passado: dados demográficos. Parte 4 (1886). Campinas: NEPO-UNICAMP, 1998b.

BLOCH, M. Para uma história comparada das sociedades europeias. In: BLOCH, M. História e historiadores: textos reunidos por Ètienne Bloch. Tradução: Telma Costa. Lisboa: Teorema, 1998, p. 119-150.

BRASIL. Diretoria Geral de Estatística. IBGE. Recenseamento do Brazil de 1872 - Província de São Paulo; Sexo, raça estado civil, nacionalidade, filiação, culto e analphabetismo da população recenseada em 31 de dezembro de 1872.

CANDIDO, A. Os parceiros do Rio Bonito: estudo sobre o caipira paulista e a transformação dos seus meios de vida. São Paulo: Editora 34, 2001a.

CANDIDO, A. Entrevista com o autor sobre os caipiras. In: FERRAZ, Isa Grinspum (direção). Intérpretes do Brasil (Documentário/DVD duplo), 2001b.

CHAPOULIE, J. M.; BRIAND, J. P. A instituição escolar e a escolarização: uma visão de conjunto. Educação e sociedade, Campinas, n. 47, ano XV, p. 11-60, abr/1994.

DIAS, A. Entre laranjas e letras: processos de escolarização no Distrito-Sede de Nova Iguaçu (1916-1950). 2012. 339 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Niterói, 2012.

FARIA FILHO, L. M. Escolarização, culturas e práticas escolares no Brasil: elementos teórico-metodológicos de um programa de pesquisa. In: LOPES, A. C.; MACEDO, E. (Orgs.). Disciplinas e integração curricular: história e políticas. Rio de Janeiro: DP&A, 2002, p. 13-36.

FARIA FILHO, L. M. História da educação e história regional: experiências, dúvidas e perspectivas. In: MENDONÇA, A. W. et al. (Orgs.). História da Educação: desafios teóricos e empíricos. Niterói: Editora da UFF, 2009, p. 57‐67.

FARIA FILHO, L. M. BERTUCCI, L. M. Experiência e cultura: contribuições de E. P. Thompson para uma história social da escolarização. Currículo sem Fronteiras, v. 9, n. 1, p. 10-24, jan./jun. 2009.

FONSECA, M. V. Pretos, pardos, crioulos e cabras nas escolas mineiras do século XIX. 2007. 256f. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007. `

INSTITUTO GEOGRÁFICO E CARTOGRÁFICO (IGC-São Paulo). Municípios e distritos do Estado de São Paulo. São Paulo: IGC, 1995.

LANGENBUCH, J. R. A estruturação da grande São Paulo: estudo de geografia urbana. Rio

de Janeiro: Fundação IBGE, 1971.

MATTOS, H. Das cores do silêncio: os significados da liberdade no Sudeste escravista, Brasil século XIX. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1998.

MORAES, F. O processo de escolarização pública na Vila de Cotia no contexto cultural caipira (1870-1885). 2015. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, 2015.

PAIVA, C. A., GODOY, M. M., RODARTE, M. M. S., et al. Publicação Crítica do Recenseamento Geral do Império do Brasil de 1872. Belo Horizonte: Núcleo de Pesquisa em História Econômica e Demográfica, Cedeplar/Face/UFMG, 2012.

PETRONE, P. Aldeamentos paulistas. São Paulo: EDUSP, 1995.

PINTO, A. M. A cidade de S. Paulo em 1900: impressões de viagem. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1900.

PORTELA, D. F. Iniciativas de atendimento para crianças negras na província de São Paulo (1871-1888). 2012. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

SÃO PAULO (Estado). Relatório apresentado ao Exmo. Sr. Presidente da Província de São Paulo pela Comissão Central de Estatística. São Paulo: Leroy King Typ. 1888.

SCHLEUMER, F. Além de açoites e correntes: cativos e libertos em Cotia colonial (1790- 1810). 1999. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade de São Paulo, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, São Paulo, 1999.

VEIGA, C. G. Crianças negras e mestiças no processo de institucionalização da Instrução Elementar, Minas Gerais, século XIX. In: A Educação Escolar em Perspectiva Histórica. Anais do III Congresso Brasileiro de História da Educação (CBHE). Vol. III. Curitiba: UFU, 2004.

VEIGA, C. G.; RODRIGUES, M. G. Etnicidade e história da educação. In: MORAIS, C. C.; PORTES, E. A.; ARRUDA, M. A. (Orgs.). História da Educação: ensino e pesquisa. Belo Horizonte: Autêntica, 2006, p. 27-58.

VEIGA, C. G.; RODRIGUES, M. G. Escola pública para os negros e os pobres no Brasil: uma invenção imperial. Rev. Bras. Educ. [online], v. 13, n. 39, p. 502-516, 2008.

VEIGA, C. G.; RODRIGUES, M. G. Conflitos e tensões na produção da inclusão escolar de crianças pobres, negras e mestiças, Brasil, século XIX. Educ. Rev., Belo Horizonte, v. 26, n. 1, p. 263-286, abr. 2010.

VIDAL, D. G.; BICCAS, M. S. As múltiplas estratégias de escolarização do social em São Paulo (1770-1970): cultura e prática escolares. In: VIDAL, D. G. (Org.). Educação e Reforma: o Rio de Janeiro nos anos 1920-1930. Belo Horizonte: Argvmentvm; São Paulo: CNPq: USP, Núcleo Interdisciplinar de Estudos e Pesquisas em História da Educação (NIEPHE), 2008, p. 19-44.

VINCENT, G.; LAHINE, B.; THIN, D. Sobre a história e a teoria da forma escolar. Educação em Revista, Belo Horizonte, n. 33, p. 7-47, jun. 2001.

WISSENBACH, M. C. Sonhos africanos, vivências ladinas: escravos e forros em São Paulo (1850-1888). São Paulo: Hucitec/História Social-USP, 1998.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


O desenho do cabeçalho e da capa da Revista Pesquisa Qualitativa é de Carmem Aranha. Ele foi feito na praça São Benedito, diante de um arbusto cujo tronco (e galhos) lembravam um ideograma chinês. (Árvore de Amparo - Desenho e grafite 6B, c 15x21 cm). Agradecemos à Carmem Aranha por ter cedido sua arte à Revista.

 

Qualis Periódicos CAPES - (2013-2016)

ENSINO - B2

EDUCAÇÃO - B3

ENFERMAGEM - B4

PSICOLOGIA - B4

COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO - B5

 

Indexadores

 

                                                    

                                                                                    

                                                                                                                                                                                                                    

 Licenciamento de Conteúdo/Content License

Licença Creative Commons
A revista RPQ - Revista Pesquisa Qualitativa, adota a política de licenciamento de seu conteúdo pela política do Creative Commons sob a licença: Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.