Análise das relações sociais através da literatura distópica

Isabella Pereira, Renata Patricia Forain de Valentim

Resumo


Resumo: Após ganhar força no período pós-guerra, a literatura distópica ressurge na pós-modernidade, como discurso voltado ao público adolescente e jovem adulto. Neste artigo é feita uma revisão bibliográfica das seguintes obras de ambos os momentos históricos: 1984, Fahrenheit 451, trilogia Jogos Vorazes e trilogia Destino. Os romances foram analisados qualitativamente através da análise de conteúdo de Bardin, que identifica “unidades temáticas”, elementos significantes comuns. Através das categorias “A influência social na vida privada”: “Vida familiar e social” e “Vida amorosa” examina-se como se relacionam as subjetividades destes jovens com o futuro e a realidade que os cerca, como eles se identificam com as produções literárias e como estas representam o discurso produzido na sociedade em que estão inseridos.

Palavras-chave: Literatura distópica; Pós-Guerra; Pós-Modernidade; Relações sociais; Análise de conteúdo.

 

Analysis of social relations through dystopian literature

Abstract: After gaining strength in the post-war period, dystopian literature resurfaced in postmodernity, as a discourse aimed at the adolescent and young adult public. In this article a bibliographical revision of the following works from both historical moments is made: 1984, Fahrenheit 451, Hunger Games trilogy and Destiny trilogy. The novels were analyzed qualitatively through the content analysis of Bardin, which identifies "thematic units", significant elements in common. Through the categories "Social influence in private life": "Family and social life" and "Love life" it’s examined how the youth subjectivities relate to the future and their social reality, how they identify themselves to the literary productions and how these ones represent the discourse produced in the society in which they are inserted.

Keywords: Dystopian literature; Post-war; Postmodernity; Social relations; Content analysis.

 


Texto completo:

TEXTO COMPLETO

Referências


BARDIN, L. Análise de Conteúdo. 3ª reimpressão da 1. ed. São Paulo: Edições 70, 2016.

BRADBURY, R. Fahrenheit 451. 3. ed. São Paulo: Globo de Bolso, 2014.

COELHO, T. O que é utopia. 2. ed. São Paulo: Editora Brasiliense, 1986.

COLLINS, S. Jogos Vorazes. 1. ed. Rio de Janeiro: Rocco Jovens Leitores, 2010.

COLLINS, S. Em Chamas. 1. ed. Rio de Janeiro: Rocco Jovens Leitores, 2011.

CONDIE, A. Destino. 1. ed. Rio de Janeiro: Objetiva, 2011.

FOUCAULT, M. O que é um autor? 3. ed. Lisboa: Veja. (col. Passagens), 1992.

FROMM, E. Epílogo. In: ORWELL, G. 1984. 26ª reimpressão da 1. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

HILÁRIO, L. C. Teoria crítica e literatura: a distopia como ferramenta de análise radical da Modernidade. Anu. Lit., Florianópolis, v.18, n. 2, p. 201-215, 2013.

LANGHAMER, C. The Meanings of Home in Postwar Britain. Journal of Contemporary History, London, v. 40, n. 2, p. 341-362, 2005.

NEUMANN, A. L.; SILVA, T. A. C.; KOPP, R. Comunicação e educação na literatura distópica: de Nós (1924) a Jogos vorazes (2008). Revista Jovens Pesquisadores, Santa Cruz do Sul, v. 3, n. 1, p. 80-96, 2013.

ORWELL, G. 1984. 26ª reimpressão da 1. ed. São Paulo: Companhia das Letras, [1949] 2015.

PAVLOSKI, E. 1984: a distopia do indivíduo sobre controle. 2005. 276 f. Dissertação (Mestrado em Concentração es Estudos Literários) – Instituto de Letras, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2005.

SILVA, G. M. R. Leitores vorazes: Literatura jovem e distopia no mundo atual. 2014. 122 f. Monografia (Pós-Graduação em Literatura Infantojuvenil), Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2014.

SOARES, J. C.; EWALD, A. P. Reflexões à sombra de Adorno: cultura do consumo, vazio existencial e sofrimento psíquico. Revista Crítica de Ciências Sociales y Jurídicas, Madrid, s.v, s.n, p.1-12, 2004.

WOJCIEKOWSKI, M. M. Utopia/Distopia e Discurso Totalitário: uma análise comparativo-discursiva entre Admirável mundo novo, de Huxley, e A república, de Platão. 2009. 123 f. Dissertação (Mestrado em Literatura Comparada) – Instituto de Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


O desenho do cabeçalho e da capa da Revista Pesquisa Qualitativa é de Carmem Aranha. Ele foi feito na praça São Benedito, diante de um arbusto cujo tronco (e galhos) lembravam um ideograma chinês. (Árvore de Amparo - Desenho e grafite 6B, c 15x21 cm). Agradecemos à Carmem Aranha por ter cedido sua arte à Revista.

 

 

 Indexadores

 

                                                    

                                                                                    

                                                                                                                                                                                                                    

 Licenciamento de Conteúdo/Content License

Licença Creative Commons
A revista RPQ - Revista Pesquisa Qualitativa, adota a política de licenciamento de seu conteúdo pela política do Creative Commons sob a licença: Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.