Epistemologia de Ludwik Fleck presente na proposta de Mendes sobre redes de atenção à saúde

Autores

  • Rodrigo Juliano Grignet UNIOESTE - Universidade Estadual do Oeste do Paraná
  • Adriana Zilly UNIOESTE - Universidade Estadual do Oeste do Paraná
  • Reinaldo Antônio Silva-Sobrinho UNIOESTE - Universidade Estadual do Oeste do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.33361/RPQ.2019.v.7.n.13.276

Resumo

Resumo: A pesquisa analisou na obra Mendiana a presença de reflexões que remontem o pensamento Fleckiano, presente nas redes de atenção à saúde. Para tanto utilizou-se um estudo revisional narrativo e toda prospecção textual foi retirada da obra do autor, observando expressões ou estruturas que reforcem, apontem ou apresentem indicativos do conteúdo epistemológico de Fleck. Elaborou-se um quadro sinóptico com alinhamento ao pensamento do pesquisador e verificou-se que a estrutura de pensamento percebida na ideia de construção das redes de atenção à saúde são reflexos de modificação contínua destas redes. Portanto, a circulação e modificação de conceitos e paradigmas nos grupos de coletivo de pensamento estão sutilmente alinhadas com o pensamento do epistemólogo. Trata-se de ideias circulantes e determinantes, observadas contundentemente na necessidade de transferência contínua de conhecimento, delegando responsabilidade e autonomia aos partícipes das redes.

Palavras-chave: Fleck; Epistemologia; Redes de Atenção à Saúde; Coletivo de Pensamento; Sociedade.

 

Epistemology by Ludwik Fleck presented in Mendes proposal on health care networks

Abstract: The research analyzed in the work Mendiana the presence of reflections that go back the Fleckiano thought, present in the health care networks. For this purpose a narrative review was used and all textual exploration was taken from the author's work, observing expressions or structures that reinforce, point or present indicative of the epistemological content of Fleck. A synoptic framework was drawn up in line with the researcher's thinking and it was verified that the structure of thought perceived in the idea of the construction of health care networks is a reflection of the continuous modification of these networks. Therefore, the circulation and modification of concepts and paradigms in the collective groups of thought are subtly aligned with the thinking of the epistemologist. These are circulating and determining ideas, strongly observed in the need for continuous transfer of knowledge, delegating responsibility and autonomy to network participants.

Keywords: Fleck; Epistemology; Health Care Networks; Collective Thought; Society.

 

Biografia do Autor

Rodrigo Juliano Grignet, UNIOESTE - Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Mestre em Ensino pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná – UNIOESTE. Docente do Curso de Medicina da Universidade Federal da Integração Latino-Americana - UNILA. Foz do Iguaçu, Paraná, Brasil. E-mail: rodrigo.grignet@unila.edu.brPrograma de Pós-graduação. Mestrado em Ensino. Professor do curso de Medicina da UNILA.

Adriana Zilly, UNIOESTE - Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Doutora em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Maringá (UEM). Docente do curso de Enfermagem, do Programa de Pós Graduação (Mestrado) em Ensino e do Programa de Pós Graduação (Mestrado) em Saúde Pública em Região de Fronteira da Unioeste/Foz. Foz do Iguaçu, Paraná, Brasil. E-mail: aazilly@hotmail.com.

Reinaldo Antônio Silva-Sobrinho, UNIOESTE - Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Doutor em Ciências da Saúde pela Universidade de São Paulo e Pós-Doutorado em Saúde Pública pela Universidade de São Paulo – USP. Coordenador do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensuem Saúde Pública em Região de Fronteira.  Laboratório de Epidemiologia e Pesquisas Operacionais em Saúde LEO/UNIOESTE. Foz do Iguaçu, Paraná, Brasil. E-mail: reisobrinho@unioeste.br

Referências

BORBA, S. M. V.; DAS NEVES, R. M. C. Real primacy in the construction of scientific knowledge and the primacy of theory in the construction of scientific research: methodological contributions from Miriam Limoeiro Cardoso. Perspectiva, Florianópolis, v. 33, n. 1, p. 429-456, jan./abr. 2015.

CAMPOS, G.W.S. Paidea and a health care model: an essay on changing the ways we think and articulate for producing health care. Olho Mágico, Londrina, v. 10, n. 2, p. 7-14, abr./jun. 2003.

CONDÉ, M. L. “The reception of Ludwik Fleck in Brazil: from an anonymous visitor to a renowned thinker”. Transversal: International Journal for the Historiography of Science, Belo Horizonte, v. 1, n. 1, p. 46-51, dez. 2016.

CORDEIRO, A. M. et al. Systematic review: a narrative review. Revista Colégio Brasileiro de Cirurgiões, Rio de Janeiro, v. 34, n. 6, p. 428-431, nov./dez. 2007.

CURI, L. M.; SANTOS, R. C. Ludwik Fleck and the sociocultural analysis of science(s). Hist. Ciên. Saúde-Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 18, n. 4, p. 1169-1173, out./dez. 2011.

DELIZOICOV, D. Research in science teaching as applied human sciences. Cad. Bras. Ens. Fís, Florianópolis, v. 21, n. 2, p. 145-175, ago. 2004.

DELIZOICOV, N. C.; CARNEIRO, M. H. S.; DELIZOICOV, D. The motion of blood in human body: from the knowledge production context to its teaching. Ciência educação, Bauru. v. 10, n. 3, p. 443-460, set./dez. 2004.

ELIAS, C. S. R. et al. Whenistheend? A narrative review on the termination of the school term for mentally disabled students. Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool e Drogas SMAD, Rio Claro, v. 8, n. 1, p. 48-53, jan./abr. 2012.

FERREIRA, M. T. Review1. Genesis and development of a scientific fact. Plural, São Paulo, v. 19, n. 2, p. 165-170, 2012.

FLECK, L. La génesis y El desarollo de un hecho científico. 1. ed. Madrid: Alianza Editorial, 1986.

FLECK, L. Gênese e Desenvolvimento de um Fato Científico. Tradução de Georg Otte e Mariana Camilo de Oliveira. 1. ed. Belo Horizonte: Faberfactum, 2010.

GAWANDE, A. Complications: a surgeon’s notes on an imperfect sciene. 1. ed. New York: Metropolitan Books of Henry Holt and Company, 2002.

GROOPMAN, J. Second opinions: eight clinical dramas of decision making on the front lines of medicine. New York: Penguin, 2001.

JUNGHANS, M. Translating Fleck: an interview with Georg Otte and Mariana Camilo de Oliveira. História. Ciência Saúde-Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 18, n. 4, p. 1151-1158. out./dez. 2011.

LORENZETTI, L.; MUENCHEN, C.; SLONGO, I. I. P. The reception of the epistemology of fleck for the research in science education. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v.15, n. 3, p. 181-197, set./dez. 2013.

LÖWY, I. Ludwik Fleck and the history of science today. Hist.cienc.saude-Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p.7-18, jul./out. 1994.

MASSONI, N. T.; MOREIRA, M. A. Fleck's Epistemology: A Contribution to the Debate on the Nature of Science. Alexandria: Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, Rio Grande do Sul, v. 8, n. 1, p. 237-264, maio. 2015.

MENDES, E. V. As Redes de Atenção à Saúde. Organização Pan-Americana da Saúde. CONASS. 2. ed. Brasília. 2011. Disponível em: <http://www.conass.org.br/bibliotecav3/pdfs/redesAtencao.pdf>. Acesso em: 20 jun. 2017.

MENDES, E. V. Health care networks. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro. v. 15, n. 5, p. 2297-2305, ago. 2010.

MINAYO, M. C. S. Análise qualitativa: teoria, passos e fidedignidade. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 17, n. 3, p. 621-626, mar. 2012.

NASCIMENTO, T. G. Contributions of Discourse Analysis and Fleck's epistemology to the comprehension of Popular Science and its introduction in science classrooms. Ens. Pesqui. Educ. Ciênc, Belo Horizonte. v. 7, n. 2, p. 127-144, mai./ago. 2005.

OLIVEIRA, M. C. Translation collective, translation styles: On the experience of translating Ludwik Fleck in to Brazilian Portuguese. Transversal: International Journal for the Historiography of Science, Belo Horizonte, v. 1, n. 1, p. 6-11, dez. 2016.

PAGLIOSA, F. L.; DA ROS, M. A. The Flexner report: for good and for bad. Rev. bras. educ. medic., Rio de Janeiro, v. 32, n. 4, p. 492-99, out./dez. 2008.

PFUETZENREITER, M. R.A epistemologia de Ludwik Fleck como referencial para a pesquisa no ensino na área de saúde. Ciên. educ., Bauru, v. 8, n. 2, p. 147-159. 2002.

PFUETZENREITER, M.R.; ZYLBERSZTAJN, A. Perceptions of veterinary medicine students about acting in the public health area: a study based on Fleck's idea of "thought style". Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro. v.13, suppl. 2, p. 2105-2114, dez. 2008.

ROTHER, E. T. Systematic literature review X narrative review. Acta paul. enferm., São Paulo, v. 20, n. 2, p. v-vi, mar./jun. 2007.

SCHÄFFER, L.; SCHNELLE, T. Fundamentação da perspectiva sociológica de Ludwik Fleck na teoria da ciência. In: FLECK, L. Gênese e desenvolvimento de um fato científico. Belo Horizonte: Fabrefactum, s.p. 2010.

SCHVEITZER, M. C. et al. Thought styles in nursing education: scientific production in three regions of Brazil. Esc. Anna Nery, Rio de Janeiro, v. 17, n. 1, p. 60-67, jan./mar. 2013.

SILVA-ARIOLI, I. G. et al. Promoção e Educação em saúde: uma análise epistemológica. Psicologia: Ciência e Profissão. Brasília. v. 33, n. 3, p. 672-687. 2013.

SINGH, D. How can chronic disease management programmes operate across care settings and providers? Copenhagen, Regional Office for Europe of the WHO, European Observatory on Health Systems and Policies, 2008. Disponível em: <http://www.euro.who.int/__data/assets/pdf_file/0009/75474/E93416.pdf>. Acesso em: 17 jun. 2017.

SOUZA, E. M. A hundred years ago, the discovery of Treponema pallidum. An. Bras. Dermatol, Rio de Janeiro, v. 80, n. 5, p. 547-548, set./out. 2005.

Publicado

2019-04-30

Edição

Seção

Artigos de Pesquisa