Análise de avaliações aplicadas em uma licenciatura em ciências biológicas: em busca de (res)significações

Marcos Fernandes-Sobrinho, Tiago Clarimundo Ramos, Arthur Pires da Silva, Ivandilson Pessoa Pinto de Menezes, Paula Silva Resende Fernandes, Paulo Alexandre de Castro, Guilherme Malafaia

Resumo


Resumo: Foram analisadas 100 avaliações escritas (AE) relacionadas ao ensino de conceitos de Biologia, elaboradas e aplicadas por professores atuantes em uma Licenciatura em Ciências Biológicas de uma instituição pública de ensino superior, da região Centro-Oeste, no Brasil, no período de 2011 a 2014. Para validação, e posterior análise quali-quantitativa das AE, contamos com dois docentes especialistas na área. A dissimilaridade entre as AE analisadas foi estimada com base no coeficiente de Jaccard, e na sequência foi construído um correspondente dendrograma, dos dados gerados e categorizados. Os resultados obtidos sinalizam, que entre os agrupamentos de categorias hierárquicas houve a predominância de perfil tradicional de avaliação com forte apelo ao conhecimento enciclopédico e memorístico. Verificou-se também AE que possibilitavam explorar habilidades cognitivas dos estudantes e aspectos mais abrangentes, em contraposição à aprendizagem mecânica do conhecimento científico. Por fim, o estudo sugere haver necessidade de repensar caminhos alternativos aos modelos de avaliação tradicionais.

Palavras-chave: Educação em ciências; Avaliação da aprendizagem; Avaliação da ensinagem; Ensino de biologia.

 

Analysis of evaluations applied in a bachelor in biological sciences: in search of (re) significations

Abstract: We analyzed 100 written evaluations related to the teaching of Biology concepts, elaborated and applied by professors working in a Biological Sciences Degree from a public higher education institution, from the Center-West region of Brazil, between 2011 to 2014. For validation, and subsequent qualitative-quantitative analysis of the AE, we counted with two specialists. The dissimilarity between the EA analyzed was estimated based on the Jaccard coefficient, and following a corresponding dendrogram was constructed, of the data generated and categorized. The results obtained indicate that among the groupings of hierarchical categories there was a predominance of a traditional evaluation profile with strong appeal to the encyclopedic and memory knowledge. Was also verified AE that made it possible to explore students' cognitive abilities and broader aspects, as opposed to the mechanical learning of scientific knowledge. Finally, the study suggests that there is a need to rethink alternative paths to traditional evaluation models.

Keywords: Education in sciences; Learning assessment; Teaching assessment; Teaching of biology.

 


Texto completo:

TEXTO COMPLETO

Referências


ARREDONDO, S. C.; DIAGO, J. C. Avaliação educacional e promoção escolar. Trad. Sandra Martha Dolinsky. Curitiba: Ibpex; São Paulo: Unesp, 2009.

CAMPOS, R. I.; GOMES, I. C. P.; FURTADO, W. W. Avaliação da aprendizagem no ensino de Física: um olhar sobre as concepções dos professores licenciados em Física da cidade de Inhumas, GO. Revista Polyphonía, Goiânia, v. 23, n. 1, p. 71-81, jan./jul. 2012. Disponível em: . Acesso em: 10 nov. 2016.

COLL, C.; MARTÍN, E.; ONRUBIA, J. A avaliação da aprendizagem escolar: dimensões psicológicas, pedagógicas e sociais. In: COLL, C.; MARCHESI, Á.; PALACIOS, J. Desenvolvimento psicológico e educação. Psicologia da educação escolar. 2.ed. Porto Alegre: Artmed, 2004. p. 370-385.

FERNANDES-SOBRINHO, M. et al. Avaliações aplicadas em uma Licenciatura em Ciências Biológicas: dos agrupamentos categoriais hierárquicos a caminhos alternativos. In: CONGRESSO IBERO-AMERICANO EM INVESTIGAÇÃO QUALITATIVA, 6, 2017, Salamanca. Anais... Salamanca: Ludomedia. v. 1. p. 640-649, 2017. Disponível em: . Acesso em: 19 fev. 2018.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 43. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2011.

GARUTTI, S. Discutindo avaliação formativa nas disciplinas de Ciências e Biologia. Revista Uniandrade, Curitiba, v. 11, n. 1, p. 37–52, jan./jun. 2010. Disponível em: . Acesso em: 10 set 2016.

GUERRA, M.Á. S. La evaluación: un proceso de diálogo, comprensión y mejora. Revista Investigación en la Escuela, Granada, n. 20, 1993, p. 23-35.

HAYDT, R. C. Avaliação do processo ensino-aprendizagem. 6. ed. São Paulo: Ática, 2008.

HOFFMANN, J. Avaliação mediadora: uma prática em construção. 33. ed. Porto Alegre: Mediação, 2014.

LUCKESI, C. C. Avaliação da aprendizagem escolar: estudos e proposições. 22. ed. São Paulo: Cortez editora, 2014.

MIZUKAMI, M. DA G. N. Ensino: as abordagens do processo. São Paulo: Editora Pedagógica e Universitária, 1986.

PEAKALL, R.; SMOUSE, P. E. GenAlEx 6.5: genetic analysis in Excel. Population genetic software for teaching and research--an update. Bioinformatics, Oxford, v. 28, n. 19, p. 2537–2539, Oct. 2012.

PERRENOUD, P. Avaliação: da excelência à regulação das aprendizagens. Entre duas lógicas 1. ed. Belo Horizonte: Artmed, 1999.

PERRIER, X.; JACQUEMOUD-COLLET, J.-P. DARwin. Dissimilarity, Analysis and Representation for Wildows (Versão 6.0.014), 2016. Recuperado de http://darwin.cirad.fr/

ROMÃO, J. E. Avaliação, Diálogo, Desafios e Perspectivas. 7 ed. São Paulo: Cortez editora, 2008.

SANT’ANNA, I. M. Por que avaliar? Como avaliar? Critérios e instrumentos. 17. ed. Petrópolis: Vozes, 2014.

SANTIAGO, E. Trabalho Pedagógico e Avaliação Educacional. In: NETO, J. B.; SANTIAGO, E. (Org.). Formação de professores e prática pedagógica. 1ed. Recife: Massangana, 2006, v. 1, p. 121-129.

SOISTAK, M. M; PINHEIRO, N. A. M. Memorização: atual ou ultrapassada no ensino-aprendizagem da matemática? In: SIMPÓSIO NACIONAL DE ENSINO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIAS, 1, 2009, Ponta Grossa. Anais... Ponta Grossa: UTFPR, 2009. p. 971-983.

TAMURA, K. et al. MEGA5: Molecular Evolutionary Genetics Analysis Using Maximum Likelihood, Evolutionary Distance, and Maximum Parsimony Methods. Molecular Biology and Evolution, Rockville, 28, n. 10, p. 2731–2739, Oct. 2011.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


O desenho do cabeçalho e da capa da Revista Pesquisa Qualitativa é de Carmem Aranha. Ele foi feito na praça São Benedito, diante de um arbusto cujo tronco (e galhos) lembravam um ideograma chinês. (Árvore de Amparo - Desenho e grafite 6B, c 15x21 cm). Agradecemos à Carmem Aranha por ter cedido sua arte à Revista.

 

Qualis Periódicos CAPES - (2013-2016)

ENSINO - B2

EDUCAÇÃO - B3

ENFERMAGEM - B4

PSICOLOGIA - B4

COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO - B5

 

Indexadores

 

                                                    

                                                                                    

                                                                                                                                                                                                                    

 Licenciamento de Conteúdo/Content License

Licença Creative Commons
A revista RPQ - Revista Pesquisa Qualitativa, adota a política de licenciamento de seu conteúdo pela política do Creative Commons sob a licença: Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.