A abordagem PBL (Problem Based Learning) em um curso técnico em enfermagem: elementos autobiográficos da prática docente em anatomia humana

Autores

  • Wanhinna Regina Soares da Silva Instituto Federal de Educação Ciência e tecnologia do Pará
  • Douglas Pereira de Souza UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC
  • Sebastião Rodrigues-Moura Instituto Federal de Educação Ciência e tecnologia do Pará

DOI:

https://doi.org/10.33361/RPQ.2019.v.7.n.15.256

Resumo

Resumo: Nesta pesquisa, ancoramos a nossa investigação em analisar os elementos didáticos da ação docente de um professor enfermeiro da educação profissional por meio da abordagem Problem Based Learning (PBL) no ensino de anatomia humana. Trata-se de um estudo de abordagem qualitativa, de cunho autobiográfico, em que nos apropriamos da Análise Textual Discursiva (ATD) como técnica de análise para a argumentação dos registros extraídos de um diário de docência; material empírico do qual emergiram resultados relacionados a (i) elementos da prática docente reflexiva, (ii) apreensão dos conhecimentos técnico-científicos dos estudantes, e (iii) potencialidades do uso da PBL na mediação pedagógica em saúde. Infere-se que o processo pode oportunizar a capacidade de integrar a realidade do estudante à educação profissional, bem como delinear contribuições para a educação em saúde, a fim de fortalecer a construção do conhecimento científico a profissionais de forma integral e humanizada.

Palavras-chave: Educação em Saúde; Problem Based Learning; Anatomia.

 

PBL (Problem Based Learning) approach in a nursing technical course: autobiographical elements of teaching practice in human anatomy

Abstract: In this research, we anchor our research in analyzing the didactic elements of the teaching action of a nurse teacher of professional education through the Problem Based Learning (PBL) approach in teaching human anatomy. This is a qualitative approach study, with autobiographical nature, in which we appropriate Discursive Textual Analysis (DTA) as an analysis technique for the argumentation of the records extracted from a teaching diary; empirical material from which emerged results related to (i) elements of reflective teaching practice, (ii) apprehension of students' technical-scientific knowledge, and (iii) potentialities of the use of PBL in health pedagogical mediation. It is inferred that the process can provide the ability to integrate student reality into professional education, as well as delineate contributions to health education, in order to strengthen the construction of scientific knowledge to professionals in an integral and humanized way.

Keywords: Health Education; Problem Based Learning; Anatomy.

 

Biografia do Autor

Wanhinna Regina Soares da Silva, Instituto Federal de Educação Ciência e tecnologia do Pará

Graduação em Enfermagem(UEPA), Mestranda em Saúde Pública (FSP-USP),Especialista em Saúde do Trabalhador(IESC), Especialista em Educação profissional, cientifica e tecnológica (IFPA). Atuante nas Área da Saúde Pública e Educação profissional em Saúde.

Douglas Pereira de Souza, UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC

Mestre em Energia pelo PPG-ENE/UFABC (2018), Especialista em Docência do Ensino Superior pela FESAR (2015), graduação em Enfermagem pela UEPA (2016), possui também graduação em Licenciatura Plena em Ciências Naturais com habilitação em Física pela UEPA (2011). Atualmente pesquiso os Impactos na Saúde Pública frente a construção de hidrelétricas e projetos de mineração na Amazônia, com experiência em Avaliação de Impactos à Saúde (AIS) de Projetos de Grande Escala; Execução de projetos sustentáveis; Ensino, Educação e Saúde; Direitos Humanos e Saúde. Também colaboro como pesquisador no Laboratório de Justiça Territorial (Labjuta/UFABC) e no Grupo de Pesquisa Estudos e Pesquisa Social (GEPES) na elaboração de estratégias para promoção da saúde de pessoas em situação de risco/vulnerabilidade.

Sebastião Rodrigues-Moura, Instituto Federal de Educação Ciência e tecnologia do Pará

Professor de Física do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará (Campus Parauapebas). Mestre em Docência em Educação em Ciências e Matemáticas pela Universidade Federal do Pará (2016). Especialista em Docência Universitária com ênfase em Educação pela Universidade do Estado do Pará (2014). Atua na na área de docência em Física e Ciências. Licenciado Pleno em Ciências Naturais - com habilitação em Física pela Universidade do Estado do Pará (2010). Tem experiência em educação em ciências, com ênfase na linha de Ensino de Física Moderna e Contemporânea, atuando principalmente nos seguintes temas: design e validação de sequências didáticas baseadas no método DBR-TLS, ensino de física através de temas contemporâneos, abordagem CTS/CTSA e fundamentos e metodologias para o ensino de ciências.

Referências

BARBOSA, Thiago Luis de Andrade et al. Expectativas e percepções dos estudantes do curso técnico em enfermagem com relação ao mercado de trabalho. Texto & Contexto - Enfermagem, Florianópolis, v. 20, n. spe, p. 45-51. 2011. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-07072011000500005

BACKES, Dirce Stein et al. Repensando o ser enfermeiro docente na perspectiva do pensamento complexo. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília - DF, v. 63, n. 3, p. 421-426, maio-jun. 2010. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-71672010000300012

BECKER, Fernando. Educação e construção do conhecimento. 2. ed. Porto Alegre: Penso, 2012.

BERBEL, Neusi Aparecida Narvas. A problematização e a aprendizagem baseada em problemas. Interface, Comunicação, Saúde e Educação, Botucatu. v. 2, n. 2, p. 139-154, fevereiro. 1998. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1414-32831998000100008

BORGES, Marcos de Carvalho; CHACHÁ, Silvana; QUINTANA, Silvana; FREITAS, Luiz Carlos; RODRIGUES, Maria Lourdes. Aprendizado baseado em problemas. Medicina, Ribeirão Preto, v. 47, n. 3, p. 301-307. 2014. Disponível em: http://revista.fmrp.usp.br/2014/vol47n3/8_Aprendizado-baseado-em-problemas.pdf. Acesso em: 25 set. 2018.

BORGES, T. S; ALENCAR, G. Metodologias ativas na promoção da formação crítica do estudante: o uso das metodologias ativas como recurso didático na formação crítica do estudante do ensino superior. Cairu em Revista, Salvador, v. 3, n. 4, p. 119-143, julio-agosto 2014. Disponível em: https://www.cairu.br/revista/arquivos/artigos/2014 _2/08%20METODOLOGIAS%20ATIVAS%20NA%20PROMOCAO%20DA%20FORMACAO%20CRITICA%20DO%20ESTUDANTE.pdf. Acesso em: 25 set. 2018.

BRASIL. Senado Federal. Lei nº 9.394, 20 de dezembro de 1996: Lei de Diretrizes e bases da Educação, Brasília, dez. 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/l9394.htm. Acesso em: 31 maio. 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde (MS). Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Departamento de Gestão e da Regulação do Trabalho em Saúde. Câmara de Regulação do Trabalho em Saúde. Brasília: MS, 2006.

BRAZ, P. R. P. Método didático aplicado ao ensino da anatomia humana. Anuário da Produção Acadêmica Docente, São Paulo, v. III, n. 4, p. 303-310, abril, 2009. Disponível em: https://repositorio.pgsskroton.com.br/bitstream/123456789/1342/1/Artigo%2020.pdf. Acesso em: 25 set. 2018.

COSTA, Gilliene Batista Ferreira; COSTA, Gilliane Batista Ferreira; LINS, Carla Cabral dos Santos Accioly. O cadáver no ensino da anatomia humana: uma visão metodológica e bioética. Revista Brasileira de Educação Médica, Pernambuco, v. 36, n. 3, p. 369-373, 2012. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-55022012000500011

CARDOSO, J. L. da S.; MONTEIRO, A. L. Professor bacharel na educação profissional e tecnológica: a busca por identidades e o trabalho docente. Revista Margens Interdisciplinar, Belém. v. 11, n. 16, p. 16, jun. 2018. Disponível em: https://periodicos.ufpa.br/index.php/revistamargens/article/viewFile/5387/4507. Acesso em: 25 set. 2018.

COSTA, A. C. G. da. O Professor como Educador. Salvador: FLEM, 2001.

DAMASCENO, S. A. N.; CÓRIA-SABINI, M. A. Ensinar e aprender: saberes e práticas de professores de anatomia humana. Revista Psicopedagogia, Nova Iguaçu, v. 20, n. 63, p. 11, 2003. Disponível em: http://www.revistapsicopedagogia.com.br /detalhes/286/ensinar-e-aprender--saberes-e-praticas-de-professores-de-anatomia-humana. Acesso em: 25 set. 2018.

DEMO, P. Educar pela pesquisa. Campinas: Autores Associados, 2005.

DIAS, E. S. M. et al. Roda de conversa como estratégia de educação em saúde para a enfermagem. Revista Online de pesquisa, Rio de Janeiro, v.10, n.2, p. 379-384, jun. 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.2018.v10i2.379-384

FERNANDES, J. D. et al. Diretrizes curriculares e estratégias para implantação de uma nova proposta pedagógica. Revista Escola de Enfermagem USP, São Paulo. v. 39, n. 4, p.443-449. 2005. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342005000400011

FAUSTINO, R. L. H.; EGRY, E. Y. A formação da enfermeira na perspectiva da educação: reflexões e desafios para o futuro. Rev Esc Enferm USP, São Paulo. v. 36, n. 4, p.332-337. 2002. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342002000400006

FERRAROTI, F. Sobre a autonomia do método autobiográfico. In: FINGER, M.; NÓVOA, A. (org.). O método (auto) biográfico e a formação. Caderno de formação 1. Lisboa: Ministério da Saúde, 1988. p.19-34.

FEUERWERKER, L.C.M., SENA, R. A construção de novos modelos acadêmicos, de atenção à Saúde e de participação social. In: ALMEIDA, M.J., FEUERWERKER, L.C.M., LLANOS, M. A Educação dos profissionais de saúde na América Latina: teoria e prática de um movimento de mudança. São Paulo: HUCITEC, 1999. p.47-83

FORNAZIERO, C. C. et al. O ensino da anatomia: integração do corpo humano e meio ambiente. Revista Brasileira de Educação Médica, Brasília. v. 34, n. 2, p. 290-297. 2010. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-55022010000200014

GIRADE, M. da G.; CRUZ, E. M. N. T. da.; STEFANELLI, M. C. Educação continuada em enfermagem psiquiátrica: reflexão sobre conceitos. Revista da Escola de Enfermagem da USP, São Paulo. v. 40, n. 1, p. 105-110, março. 2006. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342006000100015

GOMES, L. C. G. As escolas de aprendizes artífices e o ensino profissional na velha república. Vertices, São Paulo v. 5, n. 3, p. 53-80, set-dez 2010.

HERMIDA, P. M. V.; BARBOSA, S. S.; HEIDEMANN, I. T. S. B. Metodologia ativa de ensino na formação do enfermeiro: inovação na atenção básica. Revista de Enfermagem da UFSM, Santa Maria. v. 5, n. 4, p. 683-691, out-dez. 2015. DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2179769216920

IERVOLINO, S. A.; PELICIONI, M. C. F. A utilização do grupo focal como metodologia qualitativa na promoção da saúde. Revista da Escola de Enfermagem da USP, São Paulo. v. 35, n. 2, p. 115-121, 2001. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342001000200004

KLETEMBERG, D. F.; SIQUEIRA, M. T. A. Dalledone. A criação do ensino de enfermagem no Brasil. Cogitare Enfermagem, Curitiba. v. 8, n. 2, p. 30-78. 2003. DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v8i2.1695

KURCGANT, P. Administração em enfermagem. São Paulo: Editora Pedagógica e Universitária Ltda, 1991.

LIBÂNEO, J. C. Didática. 34 ed. São Paulo: Cortez, 2017.

LIMA, E. C.; APPOLINÁRIO, R. S. A educação profissionalizante em enfermagem no Brasil: desafios e perspectivas. Revista de Enfermagem da UERJ, Rio de janeiro. v. 19, n. 2, p. 311-316, abr-jun 2011. Disponível em: http://www.facenf.uerj.br/v19n2/v19n2a23.pdf. Acesso em: 25 set. 2018.

LUCKESI, C. C. Avaliação da Aprendizagem escola: estudos e proposições. São Paulo: Cortez Editora, 2014.

MARTIN, J. Cultures in organizations: Three persctives. New York: Oxford University Press, 1992.

MIRANDA-JUNIOR, U. J. P. de. Problem Based Learning como metodologia inovadora no ensino de graduação em saúde. Revista Portuguesa de Medicina Geral e Familiar. Lisboa. v. 32, n. 1, p. 12-13, fev. 2016. Disponível em: http://www.scielo.mec.pt/pdf/rpmgf/v32n1/v32n1a03.pdf. Acesso em: 25 set. 2018.

MORAES, R.; GALIAZZI, M. do C. Análise Textual Discursiva. 2. ed. Ijuí: Editora Unijuí, 2016.

MOURA, D. H. A formação de docentes para a educação profissional e tecnológica. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica, Natal. v. 1, n. 1, p. 23-38, jul. 2008. DOI: https://doi.org/10.15628/rbept.2008.2863

OLIVEIRA, V. S. de; SILVA, R. de F. Ser bacharel e professor: dilemas na formação de docentes para a educação profissional e ensino superior. Holos, Natal, v. 2, n. 28, p. 193-205.2012. DOI: https://doi.org/10.15628/holos.2012.913

OLIVEIRA, I.; SERRAZINA, L. A reflexão e o professor como investigador. Refletir e investigar sobre a prática profissional, Lisboa. v. 29, n. 72, p. 29-42, abr-jun. 2002. Disponível em: http://apm.pt/files/127552_gti2002_art_pp29-42_49c770d5d8245.pdf. Acesso em: 25 set. 2018.

PASCHOAL, A. S.; MANTOVANI, M. de F.; MÉIER, M. J. Percepção da educação permanente, continuada e em serviço para enfermeiros de um hospital de ensino. Revista da Escola de Enfermagem da USP, Saó Paulo. v. 41, n. 3, p. 478-484, 2007. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342007000300019

PEREIRA, S. E. Contribuições para um planejamento educacional em ciências da saúde com estratégias inovadoras de ensino-aprendizagem. Comunicação em Ciências da Saúde, Brasília, v.18, n.1, p. 33-44, 2007. Disponível em: http://www.escs.edu.br/pesquisa/revista/2007Vol18_1art04contribuicoes.pdf. Acesso em: 25 set. 2018.

REIS, C. et al. Avaliação da percepção de discentes do curso médico acerca do estudo anatômico. Revista Brasileira de Educação Médica, Brasília. v. 37, n. 3, p. 350-358. 2013. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-55022013000300007

RODRIGUES-MOURA, Se. Avaliação em Aulas de Ciências e Matemáticas: narrativa (auto)biográfica como instrumento de formação do professor-pesquisador. Boletim On-Line de Educação Matemática, Joinville, v. 4, n. 6, p. 28-47, 2016. Disponível em http://www.revistas.udesc.br/index.php/boem/article/view/7463. Acesso em: 25 set. 2018.

SALBEGO, C. et al. Percepções acadêmicas sobre o ensino e a aprendizagem em anatomia humana. Revista Brasileira de Educação Médica, Brasília. v.39, n.1, p.23-31, 2015. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1981-52712015v39n1e00732014

SEVERINO, A. J. Metodologia do trabalho científico. 23. ed. São Paulo: Cortez, 2007.

SCHAURICH, D.; CABRAL, F. B.; ALMEIDA, M. de A. Metodologia da problematização no ensino em Enfermagem: uma reflexão do vivido no Profae/RS. Revista de Enfermagem, Rio de janeiro. v. 1, n. 2, p. 318-324, jun. 2007. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1414-81452007000200021

SILVA, G. M. da; SEIFFERT, O. M. da L. B. Educação continuada em enfermagem: uma proposta metodológica. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília. v. 62, n. 3, p. 362-366, maio-jun. 2009. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-71672009000300005

SOUSA, S. de O. Aprendizagem baseada em problemas como estratégia para promover a inserção transformadora na sociedade. Acta Scientiarum Education, Maringá. v. 32, n. 2, p. 237-245. 2010. DOI: https://doi.org/10.4025/actascieduc.v32i2.11170

SOUZA, M. C. B. de; CERIBELLI, M. I. P. de F. Enfermagem no centro de material esterilizado a prática da educação continuada. Revista Latino Americana de Enfermagem, Ribeirão Preto. v. 15, n. 5, p. 767-774, set-out. 2004. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-11692004000500010

VIGNOCHI, C. M. et al. Considerações sobre aprendizagem baseada em problemas na educação em saúde. Revista HCPA, Porto Alegre, v. 29, n. 1, p. 45-50. 2009. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/157866/000829624.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 25 set. 2018.

WALL, M. L.; PRADO, M. L. do; CARRARO, T. E. A experiência de realizar um Estágio Docência aplicando metodologias ativas. Acta Paulista de Enfermagem, São Paulo, v. 21, n. 3, p. 515- 519. 2008. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-21002008000300022

Publicado

2019-12-23

Edição

Seção

Artigos de Pesquisa