Estado da arte: aspectos históricos e fundamentos teórico-metodológicos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.33361/RPQ.2020.v.8.n.17.215

Resumo

Este ensaio objetiva discutir aspectos históricos, a expressão contemporânea no cenário científico e os fundamentos teórico-metodológicos do Estado da Arte (EA). A partir de incursão em fontes bibliográficas de autores que se dedicam ao seu estudo, buscamos traçar um panorama de como veio se constituindo, até a presente década, a produção em teses e dissertações que utilizaram o EA como modalidade de pesquisa, a fim de observar seu crescimento no meio acadêmico brasileiro em diferentes áreas do conhecimento e período históricos. Além disso, sistematizamos seus fundamentos teórico-metodológicos, apresentando a pesquisadores, em forma de orientação, indicativos para seu desenvolvimento. A relevância do texto consiste no olhar ao EA como tipo de pesquisa qualificada cientificamente e que atende a necessidade de apreensão aprofundada da realidade e seus múltiplos fenômenos.

Palavras-chave: Estado da Arte; História da Pesquisa; Fundamentos de Pesquisa.

Referências

ABREU, A. C.; ZULUETA, M. A.; HENRIQUES, A. Biblioterapia: estado da questão. Cadernos BAD, Lisboa, n. 1/2, p. 96-110, 2013.

ANDRÉ, M. E. D. A. (Org.). Formação de professores no Brasil (1990-1998). Série Estado do Conhecimento, n. 6. Brasília: MEC/Inep/Comped, 2002, 364p.

BANCO DE TESES E DISSERTAÇÕES DA CAPES. Disponível em: < http://www.capes.gov.br/servicos/banco-de-teses>. Acesso em 04 de jan. de 2018.

BIREME (Brasil). Biblioteca Virtual em Saúde: Tutorial de Pesquisa Bibliográfica. São Paulo: 2009, 24 p.

BOGDAN, R.C.; BIKLEN, S. K. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Portugal: Porto Editora, 1994.

BRZEZINSKI, I. Reconciliação integrativa sobre pesquisas de formação de professores. Revista Electrónica Interuniversitaria de Formación del Profesorado, Zaragoza, v. 5, n. 4, pp. 1-12, 2002.

CASTRO, E. R. (et al.). Estudos sobre o ensino de estruturas multiplicativas nos anos iniciais do ensino fundamental: revelações do estado da questão. Educ. Matem. Pesq., São Paulo, v. 18, n. 2, p. 825-842, 2016.

CUNHA, T.; LEITÃO, P. J. O. Os catálogos de nova geração nas bibliotecas universitárias portuguesas: um estado da questão. Cadernos BAD, Lisboa, n. 1, p. 33-48, jan-jun. 2014.

DEMO, P. Metodologia científica em Ciências Sociais. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1995.

FERREIRA, N. S. A. As pesquisas denominadas “Estado da Arte”. Educação & Sociedade, Campinas, ano 23, n. 79, p. 258, ago. 2002.

FILHO, J. C. S.; GAMBOA, S. S. (Org.). Pesquisa Educacional: quantidade-qualidade. 8. ed. São Paulo: Cortez, 2013 – (Coleção Questões de Nossa Época; v.46).

GAMBOA, S. S. Pesquisa em educação: métodos e epistemologias. 2. ed. Chapecó: Argos, 2012.

______. Quantidade-qualidade: para além de um dualismo técnico e de uma dicotomia epistemológica. In: FILHO, J. C. S.; GAMBOA, S. S. (Org.). Pesquisa Educacional: quantidade-qualidade. 8. ed. São Paulo: Cortez, 2013 – (Coleção Questões de Nossa Época; v.46).

______. Pesquisa qualitativa: superando tecnicismos e falsos dualismos. Contrapontos, Itajaí, v. 3, n. 3, p. 393-405, set./dez. 2003.

GATTI, B. A. Formação inicial de professores para a educação básica: pesquisas e políticas educacionais. Est. Aval. Educ., São Paulo, v. 25, n. 57, p. 24-54, jan./abr. 2014.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

HADDAD, S (Coord.). Educação de jovens e adultos no Brasil (1986-1998). Série Estado do Conhecimento, n. 8. Brasília: MEC/Inep/Comped, 2002, 140p.

KUENZER, A. Z. Educação e trabalho no Brasil: o estado da questão. Brasília: INEP, 1991.

LACELLE, E. J. As ciências religiosas feministas: estado da questão. Revista de Estudos da Religião, São Paulo, n. 1, p. 12-55, 2002.

LEITE, R.; HUGUENIN, S. A importância dos descritores em Ciências da Saúde. In: Congresso da Sociedade Brasileira de Dermatologia, LXI, 2005, Maceió, AL. Anais Brasileiros de Dermatologia... Editora dos Anais Brasileiros de Dermatologia, SP, 2005, 457-8.

MANCINI, M. C.; SAMPAIO, R. F. Quando o objeto de estudo é a literatura: estudos de revisão [Editorial]. Rev. bras. fisioter., São Carlos, v. 10, n. 4, s/p, 2006. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/S1413-35552006000400001>. Acesso em: 3 jan. 2018.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

MENDES, K. D. S.; SILVEIRA, R. C. C. P.; GALVÃO, C. M. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto Contexto Enferm, Florianópolis, v. 17, n. 4, p. 758-764, out.-dez. 2008.

MESSINA, G. Investigación en o investigación acerca de la formación docente: un estado del arte en los noventa. Revista Iberoamericana de Educación, Madrid, n. 19, p. 145-207, 1999. Disponível em: <http://rieoei.org/index.php/RIE/index>. Acesso em: 15 jan. 2018.

MINAYO, M. C. Ciência, técnica e arte: o desafio da pesquisa social. In: MINAYO, M. C. (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis, RJ: Vozes, 1994.

MINAYO, M. C.; SANCHES, O. Quantitativo-qualitativo: oposição ou complementaridade? Cad. Saúde Públ., Rio de Janeiro, v. 9, n. 3, p. 239-262, jul/set. 1993.

MOROSINI, M. C; FERNANDES, C. M. B. Estado do Conhecimento: conceitos, finalidades e interlocuções. Educação Por Escrito, Porto Alegre, v. 5, n. 2, p. 154-164, jul.-dez. 2014.

NETA, M. L.S; JÚNIOR, A. G. M. O estado da questão: o conhecimento avaliativo dos docentes nos cursos de pedagogia. In: III Congresso Nacional de Educação, 2016, Natal, RN. Anais... Campina Grande, PB: Editora Realize, 2016, s/p.

PUENTES, R. V.; AQUINO, O. F.; FAQUIM, J. P. S. Las investigaciones sobre formación de profesores en América Latina: un análisis de los estudios del estado del arte (1985-2003). Educação Unisinos, São Leopoldo, v. 9, n. 3, p. 221-230, set./ dez. 2005.

ROMANOWSKI, J. P. As licenciaturas no Brasil: um balanço das teses e dissertações dos anos 90. 2002. 146f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2002.

ROMANOWSKI, J. P.; ENS, R. T. As pesquisas denominadas do tipo "Estado da Arte” em educação. Revista Diálogo Educacional, Paraná, v. 6, n. 19, p. 37-50, set./dez. 2006.

ROSSETTO, G. A. R. S. (et al). Desafios dos estudos “Estado da Arte”: estratégias de pesquisa na pós-graduação. Educação: Saberes e Prática, Brasília, v. 2, n. 1, p. 1-15, 2013.

ROTHER, E. T. Revisão sistemática X revisão narrativa [Editorial]. Acta Paulista de Enfermagem, São Paulo, v. 20, n. 2, p. 5-6, abr.-jun. 2007.

SAEZ, V. Una mirada a la investigación sobre medios, violencia y escuela. Entramado, Cali, v. 11, n. 1, p. 136-155, jan – jun. 2015. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.18041/entramado.2015v11n1.21117>. Acesso em: 13 jan. 2018.

SAMPAIO, R. F.; MANCINI, M. C. Estudos de revisão sistemática: um guia para síntese criteriosa da evidência científica. Rev. bras. fisioter., São Carlos, v. 11, n. 1, p. 83-89, jan./fev. 2007.

SANTOS, O. M. Fundamentos do código de ética do profissional da informação: o estado da questão. Cadernos BAD, Lisboa, n. 1, p. 45-56, jan-jun. 2015.

SILVA, L. A. P.; JOHN, V. M. Identidades de gênero nos estudos de recepção de telenovela: um olhar sobre a produção stricto sensu da última década. Revista Famecos: mídia, cultura e tecnologia, Porto Alegre, v. 23, n. 2, p. maio-ago. 2016.

SOARES, M. B.; MACIEL, F. (Org.). Alfabetização. Série Estado do Conhecimento, n. 1. Brasília: MEC/Inep/Comped, 2000, 173p.

SPOSITO, M. P. Estado da Arte sobre juventude: uma introdução. In: SPOSITO, M. P. (coordenadora). O Estado da Arte sobre juventude na pós-graduação brasileira: educação, ciências sociais e serviço social (1999-2006), v. 2. Belo Horizonte: Argvmentvm, 2009. p. 11-15. Disponível em: . Acesso em: 26 dez. 2017.

TEIXEIRA, C. R. O “Estado da Arte”: concepção de avaliação educacional veiculada na produção acadêmica do Programa de Pós-Graduação em Educação: Currículo (1975-2000). Cadernos de Pós-Graduação – educação, São Paulo, v. 5, n. 1, p. 59-66, 2006.

THERRIEN, S. M. N; THERRIEN, J. Trabalhos científicos e o estado da questão: reflexões teórico-metodológicas. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, v. 15, n. 30, p. 5-16, jul.-dez. 2004.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.

VOSGERAU, D. S. R.; ROMANOWSKI, J. P. Estudos de revisão: implicações conceituais e metodológicas. Rev. Diálogo Educ., Curitiba, v. 14, n. 41, p. 165-189, jan./abr. 2014.

Downloads

Publicado

2020-10-01

Edição

Seção

Estudos