Pesquisa e prática na formação universitária: reflexões sobre o estágio em clínica psicanalítica no serviço de psicologia aplicada

Autores

  • Ingrid Vorsatz Universidade do Estado do Rio de Janeiro http://orcid.org/0000-0001-6016-4566
  • Renata Dahwache Martins
  • Brenda Castro Gomes
  • Cynthia Silva dos Santos

DOI:

https://doi.org/10.33361/RPQ.2018.v.6.n.11.186

Resumo

Resumo: Em 1912, Freud afirma categoricamente que no que tange à psicanálise, pesquisa e tratamento coincidem. O presente artigo objetiva discutir esta afirmação à luz das premissas que orientam uma pesquisa de caráter qualitativo, cujo campo aqui privilegiado será o da clínica. A partir de uma revisão sucinta dos artigos freudianos onde o binômio pesquisa e clínica psicanalítica são problematizados, pretendemos discutir em quê a clínica pode ser considerada como um campo de investigação, no qual teoria e prática são indissociáveis. Por fim, abordaremos esta problemática a partir da prática em estágio supervisionado de orientação psicanalítica no Serviço de Psicologia Aplicada da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, onde verificou-se possível fazer a experiência da clínica como campo de pesquisa, sobre a qual pretendemos testemunhar. Apesar das dificuldades inerentes à estrutura acadêmica para prática da psicanálise tout court no âmbito de uma clínica-escola, a experiência de estágio supervisionado em clínica psicanalítica se sustenta sobre os seus pilares fundamentais, constituindo uma experiência formadora, no sentido forte do termo.

Palavras-chave: Formação universitária; Pesquisa; Metodologia; Clínica psicanalítica; Experiência.

 

Research and practice in the university education: reflexions about the psychoanalytical clinic internship in the service of applied psychology

Abstract: In 1912, Freud categorically states that, regarding psychoanalysis, research and treatment coincide. This article aims to discuss this statement in the light of the premises that guide a qualitative research, whose privileged field shall be the clinics. From a brief review of Freudian articles where the binomial research and clinics are problematized, we intend to discuss in what the clinics can be considered as a field of investigation, in which theory and practice are inseparable. At last, we address this problematic from the practice at a supervised internship under a psychoanalytical direction in the Service of Applied Psychology of Rio de Janeiro State University, where it was found ti be possible to make the clinical experience as a research field, on which we intend to testify. Despite the difficulties due to the academic structure to the psychoanalytical practice tout court within the scope of a school-clinic, the supervised internship experience in the psychoanalytical clinic stands on its fundamental pillars, constituting a formative experience, in the strong sense of the term.

Keywords: Univesity education; Research; Methodology; Psychoanalytical clinics; Experience.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Ingrid Vorsatz, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Professora Adjunta do Instituto de Psicologia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Doutora em Teoria Psicanalítica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro

Coordenadora do Curso de Especialização em Psicologia Clínica Institucional - Modalidade Residência Hospitalar - IP-UERJ

Coordenadora da Comissão de Residência Multiprofissional e em Área Profissional de Saúde/COREMU-UERJ

Autora de "Antígona e a ética trágica da psicanálise" (Zahar/FAPERJ, 2013). Livro vencedor do 56º Prêmio Jabuti 2014 na categoria Psicologia e Psicanálise

Referências

BALIBAR, E. Consciousness. In: CASSIN, B. (Org.). Dictionary of untranslatables: a philosophical lexicon. 1. ed. Princeton: Princeton University Press, 2014.

BLANCHOT, M. A conversa infinita 1: A palavra plural. 1. ed. São Paulo: Escuta, 2010.

DARRIBA, V.; PINHEIRO, N. Psicanálise na clínica da universidade: questão ética. In: CALDAS, H.; ALTOÉ, S. (Orgs.). Psicanálise, Universidade e Sociedade. 1. ed. Rio de Janeiro: Companhia de Freud, 2011. p. 157 – 164.

FIGUEIREDO, A. C. A construção do caso clínico: uma contribuição da psicanálise à psicopatologia e à saúde mental. Revista Latinoamericana de psicopatologia fundamental, São Paulo, v. VII, n. 1, p.75-86, mar. 2004.

FONTELES, C. S. L., COUTINHO, D. M. B.; HOFFMANN, C. A pesquisa psicanalítica e suas relações com a universidade. Ágora – Estudos em Teoria Psicanalítica, Rio de Janeiro, v. XXI, n.1, p. 138-148, jan./abr. 2018.

FREUD, S. Dois verbetes de enciclopédia. In: SALOMÃO, J. (Org.). Obras Completas de Sigmund Freud: Vol. XVIII. 2. ed. Rio de Janeiro: Imago, 1993a. p. 243 -268.

FREUD, S. Interpretação dos Sonhos. In: SALOMÃO, J. (Org.) Edição Standard Brasileira das Obras Completas de Sigmund Freud: Vols. IV e V. 2. ed. Rio de Janeiro: Imago, 1993b. s.p.

FREUD, S. Relatório sobre meus estudos em Paris e Berlim. In: SALOMÃO, J. (Org.). Edição Standard Brasileira das Obras Completas de Sigmund Freud: Vol. I. 2. ed. Rio de Janeiro: Imago, 1993c. p. 35-49.

FREUD, S. Algumas considerações para um estudo comparativo das paralisias motoras orgânicas e histéricas. In: SALOMÃO, J (Org.). Edição Standard Brasileira das Obras Completas de Sigmund Freud: Vol. I. 2. ed. Rio de Janeiro: Imago, 1993d. p. 201-220.

FREUD, S. Sobre a psicoterapia. In: Edição Standard Brasileira das Obras Completas de Sigmund Freud: Vol. VII. 2ª Edição. Rio de Janeiro: Imago, 1993e. p. 241-254.

FREUD, S. A questão da Weltanschauung. In: SALOMÃO, J. (Org.). Edição Standard Brasileira das Obras Completas de Sigmund Freud: Vol. XXII. 2. ed. Rio de Janeiro: Imago, 1993f. p. 155-177.

FREUD, S. Charcot. In: SALOMÃO, J. (Org.). Edição Standard Brasileira das Obras Completas de Sigmund Freud: Vol. I. 2. ed. Rio de Janeiro: Imago, 1993g. p. 17-32.

FREUD, S. O início do tratamento. In: SOUZA, P.C. (Org.). Obras Completas de Sigmund Freud: Vol. X. 1. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2010a. p. 163 -192.

FREUD, S. Os instintos e seus destinos. In: SOUZA, P. C. (Org.). Obras Completas de Sigmund Freud: Vol. XII. 1. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2010b. p. 51 – 98.

FREUD, S. Deve-se ensinar psicanálise nas universidades? In: SOUZA, P. C. (Org.). Obras Completas de Sigmund Freud: Vol. XIV. 1. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2010c. p. 377 – 381.

FREUD, S. Cinco lições de Psicanálise. In: SOUZA, P. C. (Org.). Obras Completas de Sigmund Freud: Vol. IX. 1. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2013. p. 220 – 286.

FREUD, S. Contribuição à história do movimento psicanalítico. In: SOUZA, P.C. (Org.). Obras Completas de Sigmund Freud: Vol. XI. 1. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2012. p. 245 – 327.

FREUD, S. A questão da análise leiga: diálogo com um interlocutor imparcial. In: SOUZA, P. C. (Org.). Obras Completas de Sigmund Freud: Vol. XVII. 1. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2014. p. 124 – 230.

FREUD, S. O método psicanalítico de Freud. In: SOUZA, P.C. (Org.). Obras Completas de Sigmund Freud: Vol. VI. 1. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2016a. p. 321 – 330.

FREUD, S. Neurose e psicose. In: IANNINI, G.; TAVARES, P. H. (Orgs.). Obras incompletas de Sigmund Freud: Neurose, psicose e perversão. 1. ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2016b. p. 271 – 278.

FREUD, S. Tratamento psíquico ou anímico. In: IANNINI, G.; TAVARES, P.H. (Orgs.). Obras incompletas de Sigmund Freud: Fundamentos da clínica. 1. ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2017a. p. 19 – 46.

FREUD, S. Observações sobre o amor transferencial. In: IANNINI, G; TAVARES, P. H. (Org.). Obras Incompletas de Sigmund Freud: Fundamentos da clínica psicanalítica. 1. ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2017b. p. 165 – 182.

GERHARDT, T. E.; SOUZA, A. C. Aspectos Teórico-conceituais. In: GERHARDT, T.; SILVEIRA, D. (Orgs.). Métodos de Pesquisa. 1. ed. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009. p. 11-29.

LACAN, J. O Seminário, Livro 11: Os quatro conceitos fundamentais da psicanálise. 2. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2008.

LAPLANCHE, J.; PONTALIS, J. B. Afeto. In: Vocabulário de Psicanálise. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2016.

LOPES, A. Psicanálise Universidade: conexões possíveis. In: CALDAS, H.; ALTOÉ, S. (Org.). Psicanálise, Universidade e Sociedade. 1. ed. Rio de Janeiro: Companhia de Freud, 2011. p. 133 -142.

MASSON, J. M. A correspondência completa de Sigmund Freud para Wilhelm Fliess (1887-1904). 1. ed. Rio de Janeiro: Imago, 1986.

PEREIRA, M. C’est toujours la même chose: Charcot e a descrição do Grande Ataque Histérico. Revista Latinoamericana de psicopatologia fundamental, São Paulo, v. II, n. 3, p. 159-165, juil./ sept. 1999.

PINTO, E. B. A pesquisa qualitativa em psicologia clínica. Psicologia USP, São Paulo, v. 15, n. 1-2, p. 71- 80, 2004.

PRUDENTE, R. C. A. C.; RIBEIRO, M. A. C. Psicanálise e ciência. Psicol. cienc. prof., Brasília, v.25, n.1, p.58-69, mar. 2005.

RINALDI, D. Psicanálise e saúde mental: a pesquisa na universidade. In: CALDAS, H.; ALTOÉ, S. (Org.). Psicanálise, Universidade e Sociedade. 1. ed. Rio de Janeiro: Companhia de Freud, 2011. p.175 – 184.

ROTSTEIN, E.; BASTOS, A. A concepção freudiana de experiência. Rio de Janeiro, v. 27 n. 3, p. 371-380, 2011.

SILVA, S. A.; HERBERG, E.; MATOS, L. A. L. Características da inserção da psicologia nas pesquisas clínico-quantitativas: uma revisão. Boletim de psicologia, São Paulo, v. LXV, n 142, p. 97-111, jan. 2015.

SILVEIRA, D. T.; CÓRDOVA, F. P. A pesquisa científica. In: GERHARDT, T.; SILVEIRA, D. (Orgs.). Métodos de Pesquisa. 1. ed. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009. p. 31-42.

VORSATZ, I. O sujeito da psicanálise e o sujeito da ciência: Descartes, Freud e Lacan. Psicol. Clin., Rio de Janeiro, v. 27, n. 2, p. 249 – 273, 2015.

Publicado

2018-08-01

Como Citar

Vorsatz, I., Martins, R. D., Gomes, B. C., & Santos, C. S. dos. (2018). Pesquisa e prática na formação universitária: reflexões sobre o estágio em clínica psicanalítica no serviço de psicologia aplicada. Revista Pesquisa Qualitativa, 6(11), 390–411. https://doi.org/10.33361/RPQ.2018.v.6.n.11.186