Math Touch: tecnologia assistiva para o desenvolvimento de conceitos matemáticos básicos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.33361/RPQ.2018.v.6.n.12.235

Resumo

Resumo: Este artigo é um recorte da monografia de conclusão de curso em Ciências da Computação, descrevendo a implementação de uma Tecnologia Assistiva (TA), Math Touch, que tem como intuito auxiliar pessoas com Deficiência Visual (DV) no desenvolvimento de conceitos básicos matemáticos (quatro operações), tendo continuidade na validação em uma Tese de Doutorado. A aplicação é composta por um sistema embarcado que serve como ferramenta de apoio para a aquisição e a compreensão dos conceitos envolvendo as operações básicas da Matemática. Sua primeira validação foi efetivada com um grupo de 11 professores que ensinam Matemática na qual foi possível constatar o potencial da TA. Posteriormente, a TA foi validada com a interação de um grupo de 5 estudantes do Ensino Fundamental, sendo que a análise permite inferir que a Math Touch se constitui em uma tecnologia auxiliar para a educação matemática.

Palavras-chave: Tecnologia Assistiva; Sistema Embarcado; Educação Matemática; Educação Inclusiva.

 

Math Touch: assistive technology for the development of basic mathematical concepts

Abstract: This paper is a cut-off of the monograph of course completion in Computer Science, describing the implementation of Assistive Technology (TA), Math Touch, which aims to assist people with Visual Impairment (DV) in the development of basic mathematical concepts operations), and continued validation in a PhD thesis. The application is composed of an embedded system that serves as a support tool for the acquisition and understanding of concepts involving the basic operations of Mathematics. His first validation was carried out with a group of 11 teachers who teach mathematics in which it was possible to verify the potential of TA. The same one was validated later with a group of 5 students of Elementary School, where it was verified through the interaction an important aid in the education.

Keywords: Assistive Technology; Embedded System; Mathematics Education; Inclusive Education.

 

Biografia do Autor

Juliano Daniel Moeller, Universidade Luterana do Brasil - ULBRA

Graduado em Bacharel em Ciências da Computação em 2016 na ULBRA Gravataí.

Referências

BERSCH, R. Introdução à Tecnologia Assistiva. Porto Alegre: CEDI - Centro Especializado em Desenvolvimento Infantil, 2008.Disponível em: <http://200.145.183.230/TA/4ed/material_apoio/modulo2/M2S1A5_Introducao_TA_Rita_Bersch.pdf>. Acesso em: 09 fev. 2017.

FERNANDES, C. T. et al. A construção do conceito de número e o pré-soroban. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Especial, 2006.

FERNANDES, S. H. A. A. Relações entre o “visto” e o “sabido”: as representações de formas tridimensionais feitas por alunos cegos. Revista Iberoamericana de Educação Matemática, Venezuela, número 26, p. 137-151, jun. 2011. Disponível em: <http://www.matematicainclusiva.net.br/pdf/Relacoes_entre_o_visto_e_o_sabido_as_representacoes_de_formas_tridimensionais_feitas_por_alunos_cegos.pdf>. Acesso em: 29 mar. 2015.

GALVÃO FILHO, T. A. A Tecnologia Assistiva: de que se trata? 1. ed. Porto Alegre: Redes Editora, 2009. p. 207-235.

GELMAN, R.; GALLISTEL, C.R. The child´s understanding of number. 1. ed. Cambridge: Harvard University Press, 1978.

HEALY, L; FERNANDES, S. H. A. A. Relações entre atividades sensoriais e artefatos culturais na apropriação de práticas matemáticas de um aprendiz cego. Educar em Revista [online], Curitiba, v. 27, n. Especial, p. 227-243, 2011. Disponível em: <http://www.matematicainclusiva.net.br/pdf/Relacoes_entre_atividades_sensoriais_e_artefatos_culturais_na_apropriacao_de_praticas_matematicas.pdf>. Acesso em: 04 abr. 2018.

KAMII, C. A criança e o número: implicações educacionais da teoria de Piaget para a atuação com escolares de 4 a 6 anos. 39. ed. Campinas: Papirus, 2012.

MARCONI, M. de A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos da metodologia científica. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

MARQUES, C. M. Contátil: A matemática na ponta dos dedos. 2015. 67 f. Trabalho de conclusão de curso (Graduação em Ciência da Computação) – Instituto de Computação, Universidade Luterana do Brasil, Gravataí, 2015.

MOELLER, J. D. Math Touch – Uma Alternativa à Visão. 2016. 74 f. Trabalho de conclusão de curso (Graduação em Ciência da Computação) – Instituto de Computação, Universidade Luterana do Brasil, Gravataí, 2016.

MONTANGERO, J.; MAURICE-NAVILLE, D. Piaget ou inteligência em evolução. 1. ed. Porto Alegre: ArtMed, 1998.

NUNES, T; BRYANT, P. Crianças Fazendo Matemática. 1. ed. Porto Alegre: Artmed, 1997.

OMS. Organização Mundial de Saúde. Dados de Saúde, Brasília, 2015. Disponível em: <http://www.paho.org/bra/>. Acesso em: 15 de mar. 2017.

PFLEEGER, S. L. Engenharia de software: teoria e prática. 2. ed. São Paulo: Prentice Hall, 2004.

PIAGET, J. Psicologia da inteligência. Tradução de Egléa de Alencar. 2. ed. Rio de Janeiro, Zahar, 1977.

PIAGET, J. A formação do símbolo na criança. 4ª Edição. Rio de Janeiro, Zahar, 1978.

SÁ, E. D. de.; CAMPOS, I. M.; SILVA, M. B. C. Atendimento Educacional Especializado – Deficiência Visual. Brasília: Ministério da Educação, 2007. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/aee_dv.pdf>. Acesso em: 12 mai. 2017.

SGANZERLA, M. A. R. Contátil: potencialidades de uma Tecnologia Assistiva para o ensino de conceitos básicos de matemática. 2014. 119 f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática) – PPGECIM – Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática. Universidade Luterana do Brasil, Canoas, 2014.

SGANZERLA, M. A. R.; GELLER, M. Contátil: (Re)Adaptação do Material Dourado para Deficientes Visuais. RENOTE. Revista Novas Tecnologias na Educação, Porto Alegre, v. 12, n. 02, p. 1009-1019, dezembro. 2014.

SGANZERLA, M. A. R; GELLER, M. Tecnologias Assistivas e Educação Matemática: um estudo envolvendo alunos com deficiência visual no AEE. Acta Scientiae, Canoas, v. 20. n. 1. p. 36-55, jan./fev. 2018.

SILVA, S. A. da; ARAUJO, J. A. A. de. Maria Montessori e a Criação do Material Dourado como Instrumento Metodológico para o Ensino de Matemática nos anos iniciais da escolarização. Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS). Campo Grande, 2011. Disponível em: < https://docplayer.com.br/19241097-Maria-montessori-e-a-criacao-do-material-dourado-como-intrumento-metodologico-para-o-ensino-de-matematica-nos-anos-iniciais-da-escolarizacao.html>. Acesso em: 20 dez. 2018.

SILVEIRA, J. A. da. Material Dourado de Montessori: Trabalhando com os algoritmos da Adição, Subtração, Multiplicação e Divisão. Ensino em Re-Vista, Uberlândia, v. 6, n. 1, p. 47-63, jul. 97/jun. 1998.

Publicado

2018-12-24

Edição

Seção

Seção Temática - Pesquisa Qualitativa sobre Tecnologias Educacionais na Educação Inclusiva