Comunidades de prática como espaços de investigação no campo de pesquisa formação de professores

Autores

  • Maria Julia Corazza Universidade Estadual de Maringá (UEM)
  • Jéssica Laguilio Rodrigues Universidade Estadual de Maringá (UEM)
  • Lourdes Aparecida Della Justina Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE)
  • Rui Marques Vieira Universidade de Aveiro

Resumo

Resumo: Este artigo buscou compreender os significados atribuídos ao conceito de Comunidade de Prática (CoP) para analisar como essas se constituem em espaços de investigação no campo de pesquisa formação de professores. Para isso, realizamos um estudo qualitativo, descritivo e bibliográfico a partir de um levantamento de produções acadêmicas sobre comunidades dessa natureza, voltadas para a formação de professores. A análise de conteúdo possibilitou a construção de três unidades de significados: Natureza das comunidades; Objeto de estudo e investigação; Natureza, tipos de pesquisa e metodologias empregadas. Os resultados permitiram concluir que há, ainda, um número incipiente de CoP, presenciais e/ou virtuais, que apresentam como objeto de investigação a aprendizagem e o desenvolvimento profissional docente na perspectiva da pesquisa colaborativa.

Palavras-chave: Aprendizagem para e na docência; Desenvolvimento profissional; Pesquisa colaborativa.

 

Communities of practice as research spaces in the field of research teacher training

Abstract: This article aims to understand the meanings attributed to the concept of Community of Practice (CoP) to analyze how these constitute research spaces in the search field teacher learning. For this, we conducted a qualitative, descriptive and bibliographical study from a survey of academic productions on such communities, dedicated to teacher learning. The content analysis enabled the construction of three units of meaning: Nature of the Communities; Object of study and research; Nature, types of research and methodologies employed. The results allowed us to conclude that there is still an incipient number of CoPs, face-to-face and or virtual, presenting research and teaching professional development in a collaborative research perspective.

Keywords: Learning for and teaching; Professional development; Collaborative research.

 

Biografia do Autor

Maria Julia Corazza, Universidade Estadual de Maringá (UEM)

Area de Ensino

Departamento de Biologia

Jéssica Laguilio Rodrigues, Universidade Estadual de Maringá (UEM)

Doutoranda em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação para a Ciência e Matemática (PCM) da UEM

Lourdes Aparecida Della Justina, Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE)

Professora Associada da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE)

Rui Marques Vieira, Universidade de Aveiro

Doutor em Didática pela Universidade de Aveiro (UA). Professor Auxiliar no Departamento de Educação na Universidade de Aveiro |(UA),

Referências

ANDRÉ, M. E. D. A. Formação de professores: a constituição de um campo de estudos. Educação, Porto Alegre, v. 33, n. 3, p. 6-18, set./dez. 2010.

ANDRÉ, M. A produção acadêmica sobre formação de professores: um estudo comparativo das dissertações e teses defendidas nos anos 1990 e 2000. Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação Docente, Belo Horizonte, v. 1, n. 1, p. 41-56, ago./dez. 2009.

BANDEIRA, H. M. M. Diálogo sobre atividade intelectual e material na colaboração: a que provém este livro? In: IBIAPINA, I. M. L. de M.; BANDEIRA, H. M. M.; ARAUJO, F. M. (Orgs.). Pesquisa colaborativa: multirreferenciais e práticas convergentes. 1. ed. Teresina: EDUFPI, 2016. p. 33-61.

BEZERRA, A. C. S. Comunidades de prática online e a construção de competências para o ensino ativo. 2014. 372 p. Tese (Doutorado em Multimédia em Educação) – Departamento de Educação, Universidade de Aveiro, Aveiro, 2014.

CARVALHO, A. M. P. A pesquisa no ensino, sobre o ensino e sobre a reflexão dos professores sobre seus ensinos. Educação e Pesquisa, São Paulo, v.28, n.2, p. 57-67, jul./dez. 2002.

CLARK, MOSS, P. A., GOERING, S., HERTER, R. J., LAMAR, B., LEONARD, D., ROBBINS, S., RUSSEL, M., TEMPLIN, M. & WASCHA, K. Collaboration as dialogue: Teachers and researchers engaged in conversation and professional development. American Educational Research Journal, Washington, v.33, n.1, p. 193-231, mar. 1996.

COCHRAN-SMITH, M.; LYTLE, S. L. Inquiry as Stance: Practitioner Research for the Next Generation. 1a. Edição. New York: Teachers College Press, 2009.

COSTA, A. P.; SOUZA, D. N.; SOUZA, F. N. Trabalho Colaborativo na Investigação Qualitativa através das Tecnologias. In: SOUZA, D. N. de; COSTA, A. P.; SOUZA, F. N. de. (Eds.). Investigação Qualitativa: Inovação, Dilemas e Desafios. 1. ed. Aveiro: Ludomedia, 2016. p. 105-127.

COUTINHO, C. P. Metodologia de investigação em ciências sociais e humanas. 2. ed. Leya: Almedida, 2014.

CRECCI, V. M.; Fiorentini, D. Desenvolvimento Profissional de Professores em Comunidades com Postura Investigativa/Professional Development of Teachers in Communities with Inquiry Stance. Acta Scientiae, Canoas, v.15, n.1, p. 9-23, jan./abr. 2013.

CRUZ, M. R. D. F. D. Consciência cultural crítica numa comunidade virtual educativa de línguas. 2011. 704 p. Tese (Doutorado em Didática e Formação) – Departamento de Educação, Universidade de Aveiro, Portugal. 2011.

CRUZ, C. S. A. M. A educação para o desenvolvimento sustentável na formação de professores: a Web 2.0 e as interações numa comunidade de prática online. 2013. 335 p. Tese (Doutorado em Multimédia em Educação) – Departamento de Educação, Universidade de Aveiro, Aveiro, 2013.

CUNHA, M. I. O tema da formação de professores: trajetórias e tendências do campo na pesquisa e na ação. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 39, n. 3, p. 609-625, jul./set. 2013.

CYRINO, M. C. C. T.; CALDEIRA, J. S. Processos de negociação de significados sobre pensamento algébrico em uma comunidade de prática de formação inicial de professores de Matemática. Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 16, n. 3, p. 373- 401, dez. 2011.

CYRINO, M. C. D. C. T. Mathematics teachers’ professional identity development in communities of practice: reifications of proportional reasoning teaching. Bolema, Rio Claro, v. 30, n. 54, p. 165-187, jan./abr.2016.

DAMIANI, M. F. Entendendo o trabalho colaborativo em educação e revelando seus benefícios. Educar em revista, Curitiba, s/v, n. 31, p. 213-230, jan./abr. 2008.

DANIELS, H. Vygotsky e a pesquisa. 1. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2011.

DESGAGNÉ, S. O conceito de pesquisa colaborativa: a idéia de uma aproximação entre pesquisadores universitários e professores práticos. Revista Educação em Questão, Natal, v. 29, n. 15, p.7-35, mai./ago. 2007.

DINIZ-PEREIRA, J. E. A construção do campo da pesquisa sobre formação de professores. Revista da FAEEBA-Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 22, n. 40, p.145-154, jul./dez. 2013.

EL-HANI, C. N.; GRECCA, I.M. Participação em uma comunidade virtual de prática desenhada como meio de diminuir a lacuna pesquisa-prática na educação em biologia. Ciência & Educação, Bauru, v. 17, n. 3, p. 579-601, jul./set. 2011.

ENNIS, R. H. A logical basis for measuring critical thinking skills. Educational leadership, ALEXANDRIA, v. 43, n. 2, p. 44-48, OUT. 1985.

FERREIRA, M. S.; IBIAPINA, I. M. L. de M. A pesquisa colaborativa como espaço formativo. In: MAGALHÃES, M. C. C.; FIDALGO, S. S. (Orgs.). Questões de Métodos e de Linguagem na Formação Docente. 1ª.Edição. Campinas: Mercado de Letras, 2011. p. 119–140.

FERREIRA, A. A.; SILVA, B. D. Da Comunidade de prática on-line: uma estratégia para o desenvolvimento profissional dos professores de História. Educ. rev., Belo Horizonte, v.30, n.1, p. 37-64, jan./mar. 2014.

FIORENTINI, D. Investigar e Aprender em Comunidades Colaborativas. In: ENDIPE – Encontro Nacional de Didática e Práticas de Ensino, 16, 2012, Campinas.Anais Encontro Nacional de Didática e Práticas de Ensino, Campinas: UNICAMP, 2012. p.1-14.

FIORENTINI, D. Aprendizagem profissional e participação em comunidades investigativas. In: Seminário Práticas Profissionais dos professores de Matemática. Lisboa. 2013. Instituto de Educação da Universidadede Lisboa. Anais do Seminário Práticas Profissionais dos professores de Matemática, Lisboa, 2013a p. 01 - 26.

FIORENTINI, D. A Investigação em Educação Matemática desde a perspectiva acadêmica e profissional: desafios e possibilidades de aproximação. Cuadernos de Investigación y Formación en Educación Matemática, Costa Rica, v. 8, n. 11, p. 61-82, dez. 2013b.

FLICK, U. Qualidade na pesquisa qualitativa: Coleção Pesquisa Qualitativa. Bookman Editora. 2009.

FREITAS, D. S. A perspectiva da comunidade aprendente nos processos formativos de professores pesquisadores educadores ambientais. 2010.225p. Dissertação (Mestrado Educação Ambiental) – Instituto de Educação, Universidade Federal do Rio Grande, Rio Grande, 2010.

GARCIA, C. M. Formação de professores. Para uma mudança educativa. 1. ed. Porto: Porto Editora, 1999.

GOZZI, M. P.; MIZUKAMI, M. D. G. N. Comunidade virtual versus Comunidade presencial – uma visão em quatro dimensões. Tecnologia e Sociedade, Curitiba, v. 4, n. 6, p. 135-151, jan./jun. 2008.

IBIAPINA, I. M. L. M. Reflexões sobre a produção do campo teórico-metodológico das pesquisas colaborativas: gênese e expansão. In: IBIAPINA, I. M. L. de M.; BANDEIRA, H. M. M.; ARAUJO, F. M. (Orgs.). Pesquisa colaborativa: multirreferenciais e práticas convergentes. 1. ed. Teresina: EDUFPI, 2016. p. 33-61.

LAVE, J.; WENGER, E. Situated learning: legitimate peripheral participation. 1. ed. Cambridge: Cambridge University Press, 1991.

LOPES, S. M. O. F. Web2.0, PC e EFA: impactes de uma Oficina de Formação de professores. 2012. 568 p. Tese (Doutorado em Multimédia em Educação) – Departamento de Educação, Universidade de Aveiro, Aveiro, 2012.

MARQUES, M. M. Comunidades de prática online: contributos para a prática letiva: um estudo de caso no âmbito da Educação em Ciência envolvendo professores e investigadores. 2014. 152 p. Tese (Doutorado em Didática e Formação) – Departamento de Educação, Universidade de Aveiro, Aveiro, 2014.

MARQUES, M. M.; LOUREIRO, M. J.; MARQUES, L. Dinâmicas de interacção numa comunidade de prática online envolvendo professores e investigadores: um estudo no âmbito do projecto IPEC. Educação, Formação & Tecnologias, Monte da Caparica, v. 4, n. extra, p. 37-46. abr. 2011.

MARQUES, M. M.; LOUREIRO, M. J.; MARQUES, L. Desenvolvimento curricular numa comunidade de prática-princípios operacionalizados no âmbito do Projeto IPEC1. Revista Academia y Virtualidad, Bogotá, v.8, n. 1, p. 35-53, 2015.

MARTINS, T. Concepção de uma comunidade de prática online: um estudo em torno da integração das TIC na disciplina de EVT. 2007. 318 p. Dissertação (Mestrado em Multimédia em Educação) – Departamento de Didáctica e Tecnologia Educativa, Universidade de Aveiro, Aveiro, 2007.

MEIRINHOS, M.; OSÓRIO, A. A colaboração em ambientes virtuais: aprender e formar no século XXI. A colaboração em ambientes virtuais: aprender e formar no século XXI, Cores d’eleição. Braga. 2014. 186p.

MEIRINHOS, M.; OSÓRIO, A. Aprendizagem em ambientes colaborativos a distância: transformação das funções do formador e dos formandos. INTERNATIONAL CONFERENCE ABOUT E-LEARNING AND EDUCATION METHODOLOGIES, TECHNOLOGIES AND PROFESSIONAL TRAINING/DLC&W 2006. 6th. Lisboa. 2006. Proceeding... Lisboa: Instituto Superior de Economia e Gestão (UTE). 2006. P.1-16. Disponível em: <https://bibliotecadigital.ipb.pt/handle/10198/1110>. Acesso em: 23 jun. 2017

MINAYO, M. C. Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 1ª.Edição. Petrópolis: Vozes, 2002.

MIZUKAMI, M. G. N. A Pesquisa Sobre a Formação de Professores: metodologias alternativas In: BARBOSA, R. L. L. (Org.). Formação de Educadores: desafios e perspectivas. 1ª.Edição. São Paulo: Ed. UNESP, 2003. p. 201-232.

MIZUKAMI, M. G. N. Aprendizagem da docência: professores formadores. Revista E-Curriculum, São Paulo, v. 1, n. 1, dez. 2005. Disponível em: <https://revistas.pucsp.br/index.php/curriculum/article/view/3106>. Acesso em 20. Jun.2017.

MIZUKAMI, M. G. N. Aprendizagem da docência: conhecimento específico, contextos e práticas pedagógicas. In: NACARATO, A. M.; PAIVA, M. A. V. (Orgs.). A Formação do professor que ensina Matemática: perspectivas e pesquisas. 1ª.Edição. Belo Horizonte: Autêntica, 2006. p. 213-231.

MOREIRA, M. A. Metodologias de pesquisa em ensino. 1. ed. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2011.

NEWMAN, D.; GRIFFIN, P.; COLE, M. The construction zone: Working for cognitive change in school. 1ª.Edição. New York: Cambridge University Press, 1989.

NÓVOA, A. Para uma formação de professores construída dentro da profissão. Revista de Educación, Madrid, v. 350, p. 203-218, sept./dic. 2009.

OLIVEIRA, R. M. A. R. Narrativas: contribuições para a formação de professores, para as práticas pedagógicas e para a pesquisa em educação. Educação Publica, Cuiabá, v. 20, n. 43, p. 289-305, mai./ago. 2011.

PAMPLONA, A. S.; CARVALHO, D. D. Comunidades de prática e conflitos de identidade na formação do professor de matemática que ensina estatística. In: FIORENTINI, D. et al. (Org.). Práticas de formação e de pesquisa de professores que ensinam Matemática, Campinas, SP. Mercado das Letras. p.211-232. 2009.

PAMPLONA, A.S. A formação estatistica e pedagogica do professor de matematica em comunidades de prática. 2009. 267p. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2009. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/bitstream/REPOSIP/251749/1/Pamplona_AdmurSeverino_D.pdf>. Acesso em: 3 abr. 2017.

PINTO, M. S. M. Processos de colaboração e liderança em comunidades de prática online: o caso da@ rcaComum, uma comunidade ibero-americana de profissionais de educação de infância. 2009. 455p. Tese (Doutorado em Multimédia em Educação) – Instituo de Estudos da Criança, Universidade do Minho, Braga, 2009.

RAMOS, W. R.; MANRIQUE, A. L. Comunidade de Prática de Professores que Ensinam Matemática como Espaço de Negociações de Significados sobre a Resolução de Problemas. Bolema, Rio Claro, v. 29, n. 53, p. 979-997, dez. 2015.

REALI, A. M. R.; TANCREDI, R. M. S. P.; MIZUKAMI, M. G. N. Comunidade de aprendizagem profissional: tensões nos processos de desenvolvimento profissional de mentoras. Educação, Porto Alegre, v. 39, n. 1, p. 121-132, jan./abr. 2016.

SANTOS, V. C.; ARROIO, A. A formação de professores em comunidades de prática: o caso de um grupo de professores de química em formação inicial. Química Nova, São Paulo, v. 38, n. 1, p.144-150, jan. 2015.

SCHÖN, D. A. Educando o profissional reflexivo: um novo design para o ensino e a aprendizagem. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2008.

SEPULVEDA, C.; EL-HANI, C. N. Prática de ensino e estágio supervisionado como participação em comunidade e prática: examinando uma proposta para licenciaturas em ciências. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS 9, 2013, Águas de Lindóia. Atas... Rio de Janeiro: ABRAPEC, 2013, p.1-8.

SILVA, J. A.; BARTELMEBS, R. C. A Comunidade de Prática como Possibilidade de Inovações na Pesquisa em Ensino de Ciências nos Anos Iniciais/The Community of Practice as possible innovations in research in science education in the primary school. Acta Scientiae, Canoas, v. 15, n. 1, p. 191-208, jan./abr. 2013.

SPILLER, L. K. P. C. Desenvolvimento profissional de professores de Matemática de uma comunidade com práticas investigativas: o caso do Colégio de Aplicação da UFRJ. 2016. 222 p. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas. 2016.

TARDIF, M. Saberes docente e formação profissional. 17. ed. Petrópolis: Vozes, 2014.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

WENGER, E, McDERMOTT, R., SNYDER, W. M. Seven Principles for Cultivating Communities of Practice. 1. ed. Boston: Harvard Business SchoolPress, 2002. Disponível em: <http://hbsworkingknowledge.hbs.edu/pubitem.jhtml?id=2855&sid=0&pid=0&t=knowled>. Acesso em: 25 jul. 2017.

WENGER, E. Communities of practice: Learning, meaning, and identity. 1. ed. Cambridge: University Press, 1998.

ZEICHNER, K. M. Tendências da pesquisa sobre formação de professores nos Estados Unidos. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 9, p. 76-87, set./dez. 1998.

Publicado

2017-12-01